As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Agencia Para - http://www.agenciapara.com.br
12/11/2012
Dez familias recebem apoio da Emater para producao de peixes em Gurupa

Comunidades extrativistas de Gurupá, no arquipélago do Marajó, estão começando a diversificar suas produções. Projetos desenvolvidos no município pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), para a criação de peixes em tanques escavados, são a alternativa encontrada para oferecer uma nova alternativa de renda para as famílias, que vivem quase que exclusivamente da extração do açaí. Todas as pessoas que recebem o financiamento são formandos da Casa Familiar (CFR), de Gurupá, e com aptidão para a piscicultura.

Dez famílias divididas em cinco comunidades rurais de Gurupá participam do processo, que financia, por meio do Programa Nacional da Agricultura Familiar (Pronaf), até R$ 45 mil para a aquisição de toda a infraestrutura dos tanques e também para a compra dos filhotes de peixes (alevinos). Cada piscicultor deve adquirir seis mil alevinos, de espécies como o tambaqui, de fácil adaptação para a engorda em tanques, adaptados ao clima regional e com comercialização garantida, segundo a Emater.

Esta é a segunda etapa do processo que vai beneficiar os últimos cinco piscicultores do projeto inicial, que começou a ser trabalhado em fevereiro deste ano. Após oito meses, os primeiros resultados já estão sendo contabilizados. Cinco famílias, as primeiras a serem financiadas, já começaram a comercializar o pescado, com o quilo atingindo o preço de R$ 8,00. "Nesse primeiro momento, o pescado oferece retorno de pelo menos 50% de lucro, mas os lucros devem ser ainda maiores posteriormente, quando o financiamento já deve estar pago em sua totalidade", explica Ted Quemel, engenheiro agrônomo da Emater.

A ideia da Emater é fazer com que os piscicultores produzam durante todo o ano com uma produção estimada anualmente em 12 toneladas de pescado por piscicultor. A atividade vai garantir a melhoria da qualidade de vida das famílias, além de diminuir a pressão pesqueira sobre os rios, principalmente por conta da pesca predatória.

http://www.agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=111491#