As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

FSP, Ciencia, p. A14
21/04/2008
Ha pressao por todo lado, diz ambientalista

"Há pressão por todo lado", diz ambientalista

Da agência Folha, em Campo Grande

"O projeto é de fato muito bom, mas não esperamos uma discussão fácil na Assembléia. Há muitos interesses envolvidos, pressão de todos os lados e, para piorar, é um ano de eleições municipais", disse Sérgio Guimarães, coordenador-executivo da ONG ICV (Instituto Centro de Vida), que atua na Amazônia de Mato Grosso.
O governo tem maioria para aprovar o projeto sem grandes modificações na Assembléia. Isso, porém, não foi suficiente em 2006, quando, também com o apoio de entidades ambientalistas, Maggi encaminhou à Assembléia um projeto de redefinição dos limites do parque estadual do Cristalino (no norte do Estado).
A proposta do governo acabou substituída na íntegra pelos deputados, que aprovaram um novo traçado 27 mil hectares menor, em benefício de grandes pecuaristas da região. À época, o maior defensor da redução era o companheiro de chapa de Maggi em sua campanha à reeleição, o vice-governador Silval Barbosa (PMDB).
A ação dos parlamentares não prosperaria, mas por decisão da Justiça. "Desta vez, até mesmo pela pressão da opinião pública, nossa aposta é que o processo seja diferente. Mas teremos de nos manter muito atentos", afirmou Guimarães.
Se cenário ideal for alcançado, disse o ambientalista, todos podem ganhar. "Estamos falando de regras claras e que precisam ser cumpridas. É o único caminho. Uma situação de eterno conflito não é boa para o ambiente e muito menos para o agronegócio", afirmou. (RV)

FSP, 21/04/2008, Ciência, p. A14